O Barclays vai fechar entre 60 a 70 agências e reduzir o quadro de pessoal entre 350 e 400 colaboradores até ao final do primeiro trimestre de 2015, revelou esta terça-feira o responsável pela área de retalho do banco em Portugal.

«O plano foi apresentado em Londres e recebeu 'luz verde'. A meta é termos entre 80 a 90 balcões no mercado português e isso implica a fusão de 60 a 70 balcões e o realinhamento do quadro de pessoal. Entre 350 e 400 colaboradores vão ser impactados», afirmou Claudio Corradini, num encontro com jornalistas em Lisboa, citado pela Lusa.

O gestor italiano confirmou a informação avançada pela agência Lusa há cerca de uma semana, detalhando que o processo de redução dos trabalhadores estará operacional até ao final de outubro, passando por um programa de rescisões voluntárias, tal como já aconteceu em 2012 e 2013 (anos em que o banco cortou centenas de postos de trabalho e fechou mais de uma centena de balcões em Portugal).

«Contamos ter o plano fechado no final do primeiro trimestre de 2015», disse, assegurando que a redução de colaboradores vai ser feita «de forma justa».

O Barclays emprega atualmente 1.464 pessoas em Portugal na área de retalho e conta com 147 agências bancárias. As áreas de banca de investimento, corporate (grandes empresas) e cartões de crédito (Barclayscard) não vão ser afetadas.

«O Barclays quer continuar a gerar valor a médio e longo prazo, pela via da inovação», salientou Corradini, que enfatizou o reposicionamento estratégico da entidade no mercado português - apontando ao segmento afluente - anunciado no início do ano.