O número de casais com ambos os cônjuges desempregados subiu 0,3% em fevereiro, face a igual período de 2013, para 13.231, mas recuou 0,1% em relação a janeiro, de acordo com dados do IEFP hoje divulgados.

De acordo com os dados recolhidos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), no final de fevereiro havia mais 44 casais do que um ano antes a garantirem a sua sobrevivência com as prestações sociais de desemprego pagas pelo Estado, mas menos 19 face a janeiro.

Em janeiro, o número de casais nesta situação fixou-se em 13.250, o que representava um aumento de 2% em termos homólogos.

No final de fevereiro, estava registados nos centros de emprego do continente 664.713 desempregados, dos quais 48% eram casados ou viviam em situação de união facto, totalizando 317.107.

O desemprego registado nos centros do continente caiu 5,3% em fevereiro, face a igual período de 2013, e 0,7% face a janeiro.

"Relativamente aos desempregados casados ou em situação de união de facto, a diminuição face a fevereiro de 2013 atingiu 8,2% (-28.299 desempregados), enquanto a variação faace a janeiro de 2014 situação em -1,1% (-3.465)", refere o IEFP na informação mensal sobre estado civil do desemprego e condição laboral do cônjuge.

Do total de desempregados casados ou em união de facto, 26.462 (8,3%) «têm também registo de que o seu cônjuge está igualmente inscrito como desempregado no centro de emprego», acrescenta a mesma fonte à Lusa.

Veja também: Número de desempregados inscritos recua 5,2% em fevereiro