Em 2013, mais de 4500 portugueses saíram do país à procura de trabalho, enquanto ainda tinham subsídio, e pediram para continuar a receber essa prestação no estrangeiro, de acordo com o Diário de Notícias.

Segundo dados do Instituo da Segurança Social, o número disparou desde 2011, ano de chegada da troika, quando existiam apenas 881 pedidos de subsídio. O aumento da emigração, que se cifra em 120 mil saídas por ano, e uma maior divulgação dessa possibilidade fizeram aumentar o número de casos.