A fatura da luz em Espanha vai aumentou mais de 11% a partir de janeiro, depois do leilão elétrico de hoje ter terminado com um aumento dos preços de mais de 26,5%, segundo dados do setor.

À subida devida ao leilão (que será de cerca de 10,5%) há ainda que somar-se o aumento de entre um e dois pontos percentuais do componente da fatura que depende diretamente da decisão do Governo que anunciou já que pretende combater o défice tarifário.

O leilão realizado hoje, em que participaram as principais elétricas do país, é essencial para determinar os preços da energia no primeiro trimestre de 2014, já que condiciona metade do valor das faturas.

Esta semana o ministro da Indústria, José Manuel Soria, confirmou que as portagens de acesso (responsáveis pela outra metade da fatura) aumentarão entre 1 e 2%.

Já este ano, a fatura da luz registou quatro aumentos (3% em janeiro, 1,2% em julho e 3,2% em agosto 3,1%) e apenas uma redução, de 6% em abril.

Nos últimos dois anos a tarifa da luz cresceu em média 11%, tendo-se praticamente duplicado na última década.

Apesar destes aumentos, o défice tarifário (diferença entre os custos e as receitas do sistema elétrico) acumulado em Espanha na última década é já de 30 mil milhões de euros.