A empresa do Alqueva assina, na sexta-feira, contratos de adjudicação de seis empreitadas de construção de infraestruturas de distribuição de água para servir 20.285 hectares no Baixo Alentejo, num investimento superior a 132 milhões de euros.

Trata-se das empreitadas de construção das infraestruturas de Beringel e Álamo, Beja, São Matias 1 e 2, São Matias 3 e 4, Caliços-Machados e Pias, situadas nos concelhos de Beja, Vidigueira, Moura e Serpa, precisa a Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), num comunicado enviado hoje à agência Lusa.

Segundo a EDIA, as empreitadas, além das infraestruturas de distribuição de água, incluem a construção das respetivas redes viárias e de drenagem, de estações elevatórias e de reservatórios e sistemas de automação e telegestão.

A cerimónia de assinatura dos contratos vai decorrer a partir das 10:00, no heliporto, junto à barragem do Alqueva, e deverá ser presidida pelo ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, e pela ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas.

De acordo com a EDIA, atualmente, dos cerca de 120.000 hectares de regadio do projeto global de Alqueva, 68.000 estão instalados, 20.000 em obra, 20.285 são adjudicados na sexta-feira e os restantes 10.000 estão em processo de concurso e vão marcar a conclusão do empreendimento em finais de 2015.

A conclusão do projeto Alqueva, inicialmente prevista para 2025, foi revista pelo anterior Governo PS para 2015 e, depois, antecipada para 2013.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, assumiu, entretanto, o compromisso do atual Governo PSD/CDS-PP de concluir o projeto Alqueva em 2015.