Apesar de ter sido aprovado na segunda-feira pelo Presidente da República, só a partir de 1 de setembro é que as autarquias poderão dar início às candidaturas a verbas do FAM. No entanto, é a partir desta terça-feira está em funcionamento o mecanismo de emergência que deverá começar a libertar a partir do próximo mês as verbas necessárias para que as autarquias cumpram os seus serviços mínimos.

Governo cria fundo de apoio para câmaras endividadas

Segundo noticia o «Diário Económico», quatro autarquias já iniciaram as negociações com o Executivo para acelerarem o processo. A Associação Nacional de Municípios diz esta terça-feira que seis autarquias estão em «grave dificuldade financeira».

Escreve o mesmo jornal que, no total, os cofres centrais poderão ter de antecipar uma verba a rondar os 40 milhões de euros.

O FAM chegará aos 650 milhões de euros, mas esse, a que deverão recorrer pelo menos 19 autarquias, só deverá arrancar no próximo ano.