O FMI considera que as notícias de abertura de Moçambique a uma auditoria internacional às suas dívidas públicas não declaradas constituem “um passo positivo” rumo à transparência. O Fundo aplaude a atitude em plena visita do Presidente moçambicano a Washington.

Claro que nos congratulamos com este desenvolvimento, que vemos como um passo positivo em matéria de medidas de transparência que têm sido propostos às autoridades".

Foi o que disse, em conferência de imprensa, e citado pela Lusa, o porta-voz do Fundo Monetário Internacional, Gerry Rice, na quinta-feira, dia em que o Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, tem uma reunião prevista com a diretora-geral do fundo, Christine Lagarde.

O FMI suspendeu em abril a segunda parcela de um empréstimo a Moçambique, após a revelação da existência de créditos num total de 1,4 mil milhões de dólares (1,2 mil milhões de euros) a favor de empresas estatais moçambicanas, entre 2013 e 2014.

Empréstimos com garantias do Governo, à revelia do parlamento e dos parceiros externos.