O banco central da Ucrânia anunciou esta sexta-feira a imposição de um limite máximo de levantamentos bancários na ordem dos 1.100 euros, no seguimento da crise política e social que afeta o país e num cenário de iminente bancarrota.

A divisa ucraniana, a hryvnia, criada em 1996, já perdeu cerca de 25% do seu valor só desde o início do ano, de acordo com a AFP, que afirma que os receios dos investidores multiplicaram-se no seguimento da crise política que destituiu o então Presidente, Viktor Ianukovich, e das tensões separatistas pró-russas na Crimeia.

A Ucrânia enfrenta o risco de incumprimento financeiro face aos seus compromissos se não receber rapidamente ajuda internacional, e o novo Presidente de transição, Arseni Iatseniuk, afirmou que a dívida pública está nos 75 mil milhões de dólares (54,3 mil milhões de euros), cerca do dobro do nível registado em 2010, quando Ianukovich chegou ao poder.

O Fundo Monetário Internacional já se mostrou esta semana «pronto para responder» a um eventual pedido de ajuda, indicou a sua diretora-geral, Cristine Lagarde.