As remessas de emigrantes subiram, em junho deste ano, 2,5% ultrapassando os 458 milhões de euros quando comparados com o mesmo mês de 2012, revela esta quinta-feira o Banco de Portugal no seu boletim estatístico.

De acordo com os dados do boletim, os trabalhadores portugueses em França e na Suíça são os maiores contribuintes, tendo enviado mais de 737 milhões de euros para Portugal nos primeiros seis meses do ano.

Os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal permitem constatar que o total já enviado para Portugal ultrapassa os 1,3 mil milhões de euros, um pouco menos de metade dos 2,7 mil milhões de euros recebidos no total do ano passado, o que permite concluir que, a manter-se a tendência durante o segundo semestre, Portugal receberá menos dinheiro de emigrantes este ano do que em 2012.

Do lado das remessas dos imigrantes, a subida em junho foi bastante maior. Os trabalhadores estrangeiros em Portugal enviaram 47,2 milhões de euros em junho, face aos 38,3 milhões que tinham enviado no mesmo mês do ano passado, o que representa uma subida de 23,3%.

Olhando para os primeiros seis meses, constata-se que os trabalhadores brasileiros (106 milhões), franceses (8,8 milhões) e angolanos (7,6 milhões de euros) são os que mais enviam dinheiro para os seus países, num total de quase 260 milhões de euros até junho.

No total do primeiro semestre, o envio de remessas de portugueses no estrangeiro suplanta de longe o dinheiro que sai do país: 1,3 mil milhões contra 260 milhões.