O crédito de cobrança duvidosa - mais conhecido por malparado - voltou a subir em julho, alcançando um novo recorde. Representa já 4,23% de todos os empréstimos feitos às famílias em Portugal.

Os últimos dados do Banco de Portugal, publicados esta terça-feira, mostram que o malparado registado no total do crédito concedido a particulares subiu 0,13 pontos percentuais, em comparação com junho (4,15%).

Empréstimos para compra de casa são os últimos a ficar por pagar

Embora também tenha subido, o malparado na habitação continua a ser o mais baixo, em comparação com o crédito de cobrança duvidosa relativo ao consumo e com os empréstimos para outros fins.

Em percentagem do total dos empréstimos concedidos às famílias para a compra de casa, as dívidas incobráveis subiram de 2,40% em junho para 2,43% em julho.

Já em relação ao crédito ao consumo, o malparado desceu ligeiramente de 11,4% em junho para 11,35% em julho. Há dois anos que a percentagem dos créditos de cobrança duvidosa ao consumo não ficava abaixo deste valor, nota a Lusa.

Quanto ao crédito para outros fins, os números do regulador dão conta de que o malparado aumentou de 13,79% para os 14,49% nos dois meses. Também é um novo recorde. Os créditos de cobrança duvidosa neste setor vinham a subir desde janeiro.