Termina esta quarta-feira o prazo para o grupo de trabalho interministerial reavaliar o regime fiscal dos restaurantes e ponderar uma baixa da taxa de IVA, mas a associação AHRESP, representativa do setor, teme que o Governo decida prorrogar o prazo.

«Até agora só reunimos uma vez com o grupo de trabalho e, como não ouvimos sequer rumores sobre qualquer conclusão, ponderamos que o governo se prepare para prorrogar o prazo, mesmo no último dia, o que achamos muito mal», afirmou à Lusa José Manuel Esteves, o secretário-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

O grupo de trabalho interministerial foi criado pelo atual Governo com o objetivo de reavaliar o regime fiscal do setor da restauração, que no ano passado sofreu uma subida do IVA de 13% para 23%, o que motivou fortes protestos dos representantes do setor.

Até à conclusão do relatório do grupo de trabalho, prevista para o final de julho, o Governo não fala sobre uma mexida no IVA da restauração, mesmo depois de a AHRESP alertar para a destruição de 30% dos 300 mil empregos no setor provocada pelo novo regime fiscal.

A recente decisão da Grécia de baixar o IVA dos restaurantes de 23% para 13% a partir de 1 de agosto deu novo fôlego às revindicações da AHRESP para que o imposto regresse ao patamar dos 13% onde estava em 2011.