O Governo pretende acabar com os incentivos fiscais para os carros de serviço no Orçamento do Estado para 2014, avança a TSF.

Segundo a estação de rádio, o Governo vai acabar com os incentivos fiscais sobre os chamados carros de serviço, automóveis que as empresas entregam a quadros médios e superiores e que funcionam como uma espécie de suplemento do salário. A alteração deverá poupar aos cofres públicos 200 milhões de euros.

O Governo incluirá no Orçamento um pacote de cortes de 1.300 milhões de euros que inclui, entre outras medidas, a alteração das taxas nos carros de serviço. No conjunto, o pacote de cortes equivale a 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB).

Além desta medida, neste pacote de cortes incluem-se, por exemplo, os cortes nas pensões de sobrevivência, com o qual o Governo espera poupar 100 milhões de euros, mas também taxas na energia, que vão render mais 100 milhões, e o alargamento da tabela remuneratória única da Função Pública a todo o sector empresarial do Estado, que renderá mais 220 milhões.

A TSF cita o texto revisto do memorando de entendimento com a troika para identificar várias das medidas que o Governo pretende implementar, sendo que algumas dizem respeito às «pequenas e médias poupanças» que o vice-primeiro-ministro Paulo Portas referiu na semana passada, mas não identificou. No documento o Executivo assume que «só com essas medidas adicionais será possível atingir um défice de 4% em 2014».