Os condutores de BMW são dos mais agressivos e egoístas nas estradas. Esta é, pelo menos, a conclusão de um estudo realizado no ano passado pela Universidade da Califórnia, Berkeley e Universidade de Toronto.

Os pesquisadores examinaram o comportamento dos condutores em cruzamentos e passadeiras nas movimentadas estradas da Califórnia e pontuaram a condução segundo critérios como a paragem (ou não) na passadeira para dar passagem aos peões, e se os condutores se atravessavam à frente dos outros, por exemplo.

Em geral, concluíram, os condutores de carros de gama alta são menos «gentis» com os outros condutores e peões. Mas os condutores de BMW, mereceram uma referência em particular.

Um dos pesquisadores, Paul K. Piff, diz que «uma das tendências mais significativas é que carros de gama alta têm menor tendência para parar», mas «os condutores dos BMW eram os piores».

Uma afirmação que pode muito bem estar relacionada com o facto de o BMW Série 3 e o BMW Série 7 tem lugares de (des)honra na lista dos modelos que geram maiores perdas para as companhias de seguros automóveis em caso de acidente.

A lista, elaborada pelo Insurance Institute for Highway Safety, baseia o cálculo das perdas na frequência e dimensão das colisões reportadas aos seguros. E é de referir que as seguradoras só têm de pagar as indemnizações quando os condutores segurados são considerados culpados pelos acidentes.

Na lista do Insurance Institute for Highway Safety, as perdas com o BMW Série 7 são mais do dobro da média nacional nos EUA, e com o BMW Série 3 de duas portas são mais do triplo.