A Deco considerou esta quinta-feira positiva a venda de gás botija de marca branca em superfícies comerciais se os preços baixarem para o consumidor como acontece no caso de operadores franceses, em que a diferença atinge os sete euros.

«O Carrefour vende botijas de gás butano de 13 quilos, iguais às nossas, por menos sete euros do que a média dos revendedores tradicionais», disse hoje à agência Lusa Tito Rodrigo, da associação de defesa do consumidor.

Um estudo da Entidade Nacional do Mercado de Combustíveis aconselha a comercialização de marcas brancas de gás de botija em postos de venda como as grandes superfícies, à semelhança do que acontece em França.

«É um valor bastante significativo e que gostaríamos também de ver repercutido em Portugal», afirmou a fonte da Deco.

Um das sugestões do trabalho da Entidade Nacional, entregue na quarta-feira na Assembleia da República, é «promover e facilitar» a comercialização de marcas brancas nos diversos postos de venda.

«Obviamente que esta situação das marcas brancas se prende com uma reivindicação que temos vindo a fazer para que sejam uniformizados os sistemas de encaixe rápido dos reguladores, não apenas ao nível das marcas que operam no território nacional», acrescentou Tito Rodrigo, para quem está em causa um mercado que pode ser «muito interessante» e que em Portugal tem apenas quatro marcas.

«No fundo, é um pouco surpreendente como não há aqui mais concorrência», referiu.

Na sequência das conclusões do estudo da Entidade Nacional, o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, disse que o Governo «vai avançar para a definição de preços de referência», referindo que a intenção não é «fixar preços», mas «habilitar o consumidor a um preço de referência» para que se saiba qual o preço que deve ser praticado.