Os preços das chamadas móveis nacionais nos países da União Europeia (UE) atingem uma diferença de 774%, entre a Holanda, o país mais caro, e a Lituânia, onde as chamadas são as mais baratas, revelam dados divulgados pela Comissão Europeia esta terça-feira.

De acordo com os dados da Agenda Digital da UE, comparando preços de 2011 de chamadas domésticas (dentro do próprio país), na Holanda o custo médio de uma chamada móvel por minuto ronda os 14,7 cêntimos, enquanto na Lituânia o valor é de 1,9 cêntimos.

Portugal, quase a meio da tabela dos 28 países analisados, cobra em média 7,6 cêntimos, ou seja, mais 5,7 cêntimos do que o país mais barato da União Europeia.

Segundo a Comissão Europeia, «os utilizadores de telemóveis na União Europeia enfrentam uma enorme diferença de preços pelos mesmos serviços», cita a Lusa.

Esta disparidade de preços «não pode ser explicada pelas diferenças na qualidade, custo de fornecimento do serviço ou por diferenças do poder de compra do consumidor entre países», adianta a Comissão Europeia, em comunicado.

«Como estes números claramente mostram, atualmente os 28 mercados de telecomunicações nacionais na Europa não estão a beneficiar os consumidores como deveria acontecer num mercado único. É crítico para toda a União Europeia avançar para a construção de um mercado único para alcançar um continente verdadeiramente ligado», afirmou a vice-presidente da Comissão Europeia, Neelie Kroes, citada no comunicado.

Segundo Bruxelas, há muito menos diferenças de preços entre outras categorias de bens básicos e serviços no mercado único europeu do que no setor das telecomunicações.

A Comissão Europeia dá como exemplo o preço de um litro de leite no mercado único, que oscila entre os 0,69 euros e os 0,99 euros, o que corresponde a uma diferença de 43%. Já no caso da compra de um iPad, a diferença de preços pode rondar um máximo de 11% de diferença na UE.

Em termos de chamadas de telemóveis internacionais, as diferenças oscilam entre os 0,35 euros por minuto da França (operadora Orange), Hungria (Telenor) e Itália (TIM) e as de 1,19 euros do Reino Unido (Vodafone).

A Bélgica (Belgacom) apresenta o segundo preço mais alto, de 0,97 euros, seguida da Alemanha (O2), com 0,75 euros, Espanha (Movistar), com 0,65 euros, e de Portugal (Vodafone), cujo preço por minuto é de 0,465 euros.

Ainda dentro das chamadas móveis internacionais, registe-se que a alemã T-Mobile apresenta um preço mais baixo que a congénere O2 pelo mesmo serviço, no valor de 0,48 euros por minuto.

Em setembro, Neelie Kroes vai apresentar um novo pacote que visa fortalecer o mercado único das telecomunicações.