A DECO considera que o reforço das medidas monetárias pelo BCE, que deverá fazer baixar os juros dos depósitos para próximo de zero, pode representar "uma verdadeira armadilha" para os investidores, levando-os a arriscar as poupanças em produtos complexos.

Segundo a informação hoje divulgada pela Proteste Investe, o aconselhamento financeiro daquela associação de defesa do consumidor, o cenário de juros muito baixos, nomeadamente nos depósitos, pode criar nos pequenos investidores “desilusão com o rendimento dos produtos tradicionais" e levar "à tomada de riscos inconscientes”.

A DECO pede, assim, aos investidores que não se deixem “iludir” por produtos mais complexos que ofereçam melhores remunerações, avisando que o “risco pode ser muito elevado e estar disfarçado pela complexidade do produto”, lembrando que “basta uma má decisão para pôr em risco todas as suas economias”.

O BCE cortou na quinta-feira a taxa de juro da zona euro para 0%. O anúncio foi recebido com surpresa: a taxa estava já em mínimos históricos, nos 0,05%.

O banco central cortou também a taxa de depósitos para terreno ainda mais negativo: - 0,40%. Esta taxa estava nos 0,30%, o que representa uma descida de 10 pontos base. Esta medida tem efeitos a partir de 16 de março.

Ainda noutra grande ação, Draghi aumentou a compra do programa de compra de ativos de 60 mil milhões de euros para 80 mil milhões, com início já em abril.