A Direção-Geral do Orçamento divulga esta segunda-feira a execução orçamental em contas públicas até maio, com um ligeiro atraso, já que o balanço das contas públicas era para ter sido divulgado na última sexta-feira, mas Governo estava à espera dos números do INE sobre o défice do terceiro trimestre, para incorporá-los no documento de hoje. O défice baixou de 5,5% no ano passado para 3,2% este ano, no mesmo período, sendo que o Governo pretende encerrar 2016 com um défice de 2,2% do PIB em contas nacionais, as que interessam a Bruxelas.

Segundo a síntese de execução orçamental até abril, o défice orçamental atingiu 1.633,6 milhões de euros, superior em 56,2 milhões de euros ao registado em igual período de 2015.

No que diz respeito à receita com impostos, o Estado arrecadou 11.866,2 milhões de euros nos primeiros quatro meses deste ano, o que representa um aumento de 3,2% face ao mesmo período do ano passado.

Esta evolução da receita fiscal deveu-se ao aumento da receita dos impostos indiretos (7,8%), enquanto a receita com os impostos diretos diminuiu 3%. A estimativa do Governo é de arrecadar mais de 40.000 milhões em impostos este ano.

Os números divulgados pela DGO são apresentados em contabilidade pública, ou seja, têm em conta o registo da entrada e saída de fluxos de caixa, e a meta do défice fixada é apurada pelo Instituto Nacional de Estatística em contas nacionais, a ótica dos compromissos, que é a que é tida em consideração a nível europeu e pela Comissão Europeia.