A confiança dos consumidores norte-americanos degradou-se mais que o esperado pelos analistas em outubro, recuando para o nível mais baixo desde março passado, segundo dados oficiais divulgados esta terça-feira.

O indicador afundou para 71,2 pontos, contra os 80,2 pontos de agosto, surpreendendo os analistas que esperavam que o índice se situasse nos 75 pontos.

A evolução negativa deste indicador em setembro é explicada, sobretudo, pela crise política em torno do orçamento e o teto da dívida que dividiu republicanos e democratas e quase atirou a maior economia do mundo para uma situação de incumprimento.

Os serviços públicos chegaram mesmo a não funcionar, pois os funcionários viram-se forçados a não comparecer nos serviços.

Nos Estados Unidos, além deste indicador, foi hoje também conhecido que os preços das casas registaram a maior subida homóloga no mês de setembro, desde fevereiro de 2006.

O índice S&P/Case-Shiller, que mede o valor das propriedades em 20 cidades dos Estados Unidos, aumentou 12,8% em setembro, quando comparado com agosto de 2012.

A evolução deste indicador surpreendeu os analistas contactados pela Bloomberg que previam uma subida de 12,5% nos preços das habitações em setembro, face a igual mês do ano anterior.