A companhia tecnológica de origem portuguesa Critical Software anunciou esta segunda-feira a criação de uma empresa com a fabricante de automóveis BMW, que visa a “construção do carro do futuro”, num projeto que ainda aguarda aval dos reguladores.

A ideia é ser uma referência na construção do carro do futuro e dos novos paradigmas de mobilidade”, disse em conferência de imprensa em Lisboa o presidente executivo da Critical Software, Gonçalo Quadros.

Sem avançar valores do negócio por o projeto estar dependente do aval da Autoridade da Concorrência (Adc) e do regulador europeu, o responsável assegurou que a nova empresa, a Critical TechWorks, “vai implicar” a criação de postos de trabalho, cujo número não indicou, estando sediada no Porto, mas com centro de engenharia nesta cidade e em Lisboa.

As duas cidades vão repartir responsabilidades, não há divisões funcionais”, afirmou.

"Projeto particularmente ambicioso"

Apesar de não especificar o investimento, Gonçalo Quadros notou que “é um projeto particularmente ambicioso”, que visa colocar as duas empresas parceiras “na linha da frente” no setor.

Sem referir valores, apontou que “ambas as empresas [a Critical e a BMW] têm uma posição muito substancial” nesta parceria estratégica, mas também não especificou qual a divisão.

O responsável assegurou que a Critical Software terá uma “capacidade relevante para intervir” nesta nova companhia de origem portuguesa, desde logo pela “partilha na forma como este projeto vai ser construído”.

A BMW quer ver resolvidos um conjunto de problemas tecnológicos e nós queremos responder a esses desafios”, observou, vincando que a Critical Software criará a tecnologia que será a “espinha dorsal” dos carros daquela fabricante alemã no âmbito da parceria.

Em causa está o trabalho em áreas como a inteligência artificial, grandes conjuntos de dados, conectividade, serviços de ‘car sharing’, entre outras.

Quanto a prazos, e tendo em conta que o pedido entrou na AdC “há algumas semanas”, Gonçalo Quadros estimou que, se o projeto tiver luz verde deste regulador, deverá avançar em setembro.

O presidente executivo estimou ainda que esta parceria estratégica seja “um reforço enorme” da marca a nível global, ao “pôr a Critical Software noutro plano” de mercado.

A ideia é depois escalar”, concluiu.

A Critical Software, empresa de sistemas de informação portuguesa com sede em Coimbra e representação internacional, fez o anúncio numa altura em que assinala 20 anos de existência.

No ano passado, a empresa teve uma faturação de 42,1 milhões de euros e nove milhões de euros em EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização).