A prestação da casa vai voltar a aumentar em fevereiro tanto para as famílias com contratos indexados à taxa Euribor a três meses como a seis meses, neste caso pelo quinto mês consecutivo, segundo os cálculos da Deco/Dinheiro&Direitos.

No caso dos empréstimos à habitação indexado à Euribor a seis meses, fevereiro será o quinto mês em que sobe a prestação a pagar ao banco. Já nos contratos que usam como referência a Euribor a três meses o aumento acontece pelo segundo mês.

De acordo com as contas da Deco/Dinheiro&Direitos feitas para a Lusa, uma família com um empréstimo à habitação no valor de 150 mil euros a 30 anos indexado à Euribor a seis meses e um spread de 1% vai passar a pagar 510,23 euros a partir de fevereiro, mais 4,27 euros do que na última revisão deste crédito, em agosto.

Quanto aos créditos com valor, prazo e spread iguais, mas indexados à Euribor a três meses, a prestação vai aumentar 4,65 euros face à última revisão (em novembro) para 502,84 euros.

As taxas Euribor têm aumentado ligeiramente, acarretando a subida de custos para os clientes bancários com empréstimos à habitação. A média da taxa Euribor a seis meses fixou-se nos 0,396% em janeiro e a média da taxa a três meses em 0,292%.

A prestação da casa é calculada na altura da contratação do crédito e, posteriormente, revista de acordo com o prazo do indexante. A maior parte dos créditos à habitação em Portugal estão indexados à Euribor a seis meses e, portanto, são revistos a cada meio ano.