Apesar da redução do número de beneficiários, a ADSE terminou o ano de 2014 com um excedente de 200 milhões de euros, um valor inédito, escreve o Público.

O excedente é o resultado do aumento dos descontos dos trabalhadores e aposentados, da contribuição da entidade empregadora e dos reembolsos, que, ao todo, ascenderam a 652 milhões de euros. A despesa ficou em 451,3 milhões.

No ano passado, o número de beneficiários a descontar para o subsistema de saúde era de 850.744, menos 4.072 do que em 2013.

Ao todo, o sistema contava com 1.275.356 beneficiários, menos 1,2% do que ano anterior.