O mercado livre de eletricidade alcançou cerca de 3,3 milhões de clientes em outubro, o que representa cerca de 54% do número total de clientes, de acordo com o relatório mensal da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), segundo a Lusa.

Segundo o regulador do mercado energético, o número de clientes no mercado livre cresceu 3,5% em outubro, acima do registado no mês anterior, o que representa um aumento líquido de cerca de 111 mil clientes face ao mês anterior.

Em termos de consumos, o mercado livre representa cerca de 81,2% do consumo total em Portugal Continental, uma vez que praticamente a totalidade dos grandes consumidores está já no mercado livre.

Já no segmento dos consumidores domésticos, o consumo em mercado livre ronda os 58% do total do segmento, acrescenta o documento.

O consumo anualizado em mercado livre ascendeu a 35 889 GWh em outubro de 2014, com um crescimento de 0,9%, situando-se 0,2 pontos percentuais acima da variação registada no mês anterior.

O consumo no mercado livre cresceu cerca de 15% em termos homólogos, o que corresponde a uma taxa média mensal de 1,2% no período.

Em outubro, a EDP Comercial manteve a sua posição como o principal operador no mercado livre em número de clientes (86% do total de clientes) e em consumos (mais de 45% dos fornecimentos no mercado livre).

Em relação ao mês anterior, a EDP Comercial viu a sua quota diminuir 0,1 pontos percentuais em número de clientes, tendo-se mantido em consumo.

Em número de clientes, além da EDP Comercial, também a Endesa (4,5%) e a Iberdrola (2,2%) reduziram as suas quotas.

A Galp (5,3%) e a Goldenergy (0,9%), que entrou em setembro no mercado liberalizado, aumentaram a sua quota enquanto a GN Fenosa manteve.