Em Portugal, mais de metade dos consumidores (53%) sentiam-se protegidos pelas medidas em vigor, em 2012, a mesma percentagem registada nos três anos anteriores e inferior à média europeia (55%), segundo dados divulgados esta terça-feira pela Comissão Europeia.

De acordo com os resultados do painel de avaliação dos consumidores de 2013, a percentagem de consumidores que se sentiam protegidos de forma adequada pelas medidas existentes variou, no ano passado, na União Europeia (UE), entre 18% e 76%.

Em Portugal, 53% dos consumidores sentiam-se protegidos pelas medidas existentes, a mesma percentagem registada em 2011, em 2010 e 2009, mas superior aos 35% observados em 2008.

A percentagem de consumidores portugueses que se deparou com anúncios ou ofertas enganosas baixou dos 42% em 2011 para os 41% no ano passado, sendo inferior à média europeia (44%).

Segundo os resultados do painel de avaliação ¿ que inclui os 28 Estados-membros, a Islândia e a Noruega ¿, 35% dos europeus sentem-se seguros a comprar na Internet a vendedores de outros países da UE.

Contudo, os consumidores continuam a mostrar-se menos confiantes relativamente às aquisições online a fornecedores de outros países da UE por oposição aos fornecedores do seu próprio país (35% contra 59%).

O painel de avaliação é um relatório periódico que acompanha a integração do mercado interno a retalho da UE.