O Tribunal de Contas autorizou a compra de 167 viaturas táticas ligeiras para o Exército, num investimento de cerca de 60 milhões de euros, e cuja aquisição decorrerá através da agência de compras da NATO (NSPA).

O Tribunal de Contas deu visto prévio favorável ao procedimento internacional de aquisição dos blindados ligeiros 4x4, que decorrerá através dos serviços da NSPA (NATO Support Procurement Agency), a agência de compras da NATO.

Em declarações à Agência Lusa, o ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, disse que é a primeira vez que o ministério recorre à NSPA para compras de equipamento em "montantes desta natureza".

Para Azeredo Lopes, o recurso aos serviços da NSPA, que custam "entre 2 a 3 por cento" do valor do contrato, de forma faseada, garante a segurança técnica necessária para a aquisição de equipamentos de grande complexidade.

O investimento, no valor de 60.800 mil euros, decorrerá de forma gradual até 2020, a financiar através das verbas inscritas na Lei de Programação Militar.

A compra daquele tipo de viaturas era reclamada há vários anos por parte do Exército, visando a modernização dos equipamentos daquele ramo das Forças Armadas.

No despacho que autorizou a compra, de 28 de julho, o ministro Azeredo Lopes afirmou que o investimento contribui "para uma melhoria significativa da mobilidade tática terrestre e de proteção da força, imprescindível à diferente tipologia de cenários e missões operacionais atribuídas ao Exército, em particular às Forças Nacionais Destacadas".