Portugal tem um consumo efetivo por habitante de 82%, quase 20 pontos percentuais abaixo da média da União Europeia (100%). O consumo individual efetivo, medido pelo Eurostat, é um indicador de nível de bem-estar material dos agregados familiares e exprime-se em paridade do poder de compra.

É o Luxemburgo que está no topo da lista (132%). Já a Bulgária aparece no fundo da tabela (53%), segundo dados de 2016 divulgados hoje pelo gabinete de estatísticas europeu.

Portugal integra um grupo de 12 Estados-membros cujo consumo efetivo por habitante está entre a média europeia e 25% abaixo desta.

Irlanda, Itália e Chipre apresentam valores menores que 10% da média da UE.

Já Espanha, Lituânia, Portugal e Malta estão entre 10% e 20% abaixo e a República Checa, a Grécia, a Eslováquia, a Polónia e a Eslovénia apresentam níveis entre os 20% e os 25% abaixo da média.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, dez Estados-membros apresentam índices superiores à média europeia:

Luxemburgo 32% acima
Alemanha 20% acima
Áustria 20% acima
Reino Unido entre 10% a 15% acima
Dinamarca entre 10% a 15% acima
Finlândia entre 10% a 15% acima
Bélgica entre 10% a 15% acima
França entre 10% a 15% acima
Holanda entre 10% a 15% acima
Suécia entre 10% a 15% acima

Os restantes seis Estados-membros registaram níveis de consumo individual efetivo pelo menos 30% abaixo da média da UE:

Estónia entre 30% e 40% abaixo
Letónia entre 30% e 40% abaixo
Hungria entre 30% e 40% abaixo
Roménia entre 30% e 40% abaixo
Croácia mais de 40% abaixo
Bulgária 53% abaixo

O Eurostat faz ainda uma tabela em função do produto interno bruto (PIB) por habitante – um indicador de atividade económica – e que distribui os Estados-membros entre os 276% do Luxemburgo e os 48% da Bulgária.

Portugal apresenta um PIB por habitante de 77% face à média da UE. A zona euro tem um consumo médio de 105% e um PIB de 106%