«Pecámos contra a dignidade dos cidadãos na Grécia, Portugal e muitas vezes na Irlanda também», disse Juncker perante o Comité Económico e Social, admitindo que a afirmação pode parecer «estúpida» dita pelo ex-presidente do Eurogrupo, refere a agência noticiosa Efe.






«Quando chegar o momento tudo isto deve ser revisto», afirmou, sublinhando, contudo, que os países devem continuar a seguir o caminho da consolidação das finanças públias, porque não devem hipotecar o futuro de outras gerações.