O indicador do sentimento económico manteve-se praticamente estável em novembro, face a outubro, tanto na zona euro quanto na União Europeia, contrariando pelo segundo mês a tendência de queda, segundo dados hoje divulgados por Bruxelas.

Segundo dados da Direção-Geral dos Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia, o ISE subiu ligeiramente 0,1 pontos na zona euro, para 100,8, enquanto no conjunto dos 28 Estados-membros recuou uns também ligeiros 0,1 pontos, para os 104,1.

Para a Comissão Europeia, esta estabilização - que se segue a uma subida do indicador em outubro – reforça a inversão da tendência de queda que se registava desde junho.

Na zona euro, a estabilização do indicador reflete uma melhoria da confiança nos setores da indústria e comércio a retalho e serviços financeiros, tendo piorado no da construção.

Em relação às cinco maiores economias da zona euro, o ISE aumentou em França (1,5 pontos), em Espanha (0,9), manteve-se praticamente estável na Holanda (0,1) e recuou na Alemanha (-0,7) e em Itália (-1,5).

No que respeita às duas maiores economias que não partilham a moeda única, o ISE cresceu ligeiramente no Reino Unido (0,3 pontos) e estagnou na Polónia (0,0).

Na UE, a confiança nos setores da indústria, serviços, construção e serviços financeiros seguiram o padrão da zona euro.

Em Portugal, segundo o Instituto Nacional de Estatística, o indicador de clima económico diminuiu ligeiramente em novembro, após ter estabilizado no valor máximo desde julho de 2008, durante três meses consecutivos.

Já indicador de confiança dos consumidores aumentou, atingindo o valor mais elevado desde maio de 2002 e prolongando a acentuada tendência ascendente observada desde o início de 2013.