A Comissão Europeia entende que o Orçamento de Estado para 2015 está em risco de violar as regras europeias e pede ao país que tome as medidas necessárias para cumprir as metas necessárias para cumprir as metas orçamentais. Na análise ao documento, Bruxelas considera que estão em falta medidas estruturais e que o esforço orçamental está aquém do esperado.
 
E por isso vai ser necessário um esforço adicional considerável. Ainda assim, com estas reservas, Bruxelas aprovou as contas portuguesas para o próximo ano.
 
A Comissão entende que as contas do Governo são demasiado otimistas, nomeadamente a meta do défice para 2015. E avisa que, no início de março, vai decidir se serão necessárias novas medidas de austeridade.
 
Bruxelas anunciou esta sexta-feira o veredicto sobre os orçamentos dos Estados-membros da zona euro. Portugal faz parte de um grupo de sete países considerados «em risco de incumprimento» do Pacto de Estabilidade e Crescimento, onde se incluem França, Itália, Bélgica, Espanha, Malta e Áustria.
 
No caso de França e Itália, o aviso é ainda mais sério: Bruxelas adiou o veredito final sobre os orçamentos destes países e, nos próximos três meses, vai vigiar se Paris e Roma cumprem os compromissos negociados com a CE.

Recorde-se que o Governo antecipa um défice de 2,7% para 2015, dois pontos percentuais acima do inicialmente acordado com a troika,. O Procedimento por Défices Excessivo «manda» que Portugal tenha de ter um défice abaixo dos 3%.