A Comissão Europeia saudou esta segunda-feira os esforços feitos por vários Estados-membros, incluindo Portugal, para garantir a sustentabilidade das pensões, mas advertiu que são necessárias “políticas fortes que permitam aos trabalhadores permanecer em atividade até à idade legal de reforma”.

O relatório de 2015 do executivo comunitário sobre “adequação das pensões”, aprovado esta segunda-feira mesmo pelo Conselho de Ministros do Emprego e Política Social, aponta como uma das principais conclusões que “os regimes de pensões da UE serão capazes de garantir pensões adequadas também às gerações futuras de reformados, desde que os Estados-Membros apliquem políticas fortes que permitam ao maior número possível de trabalhadores permanecer em atividade até atingirem a idade legal de reforma”.

Segundo o documento, nos últimos anos os Estados-membros têm adotado uma série de reformas com vista a garantir a sustentabilidade futura dos sistemas de pensões, para fazer face ao envelhecimento da população, e, entre os países que "seguiram de perto" as recomendações europeias, aponta Portugal.