A Comissão Europeia propôs-se criar um novo painel de avaliação que permita identificar melhor e mais cedo os principais problemas de desemprego e sociais, no âmbito do Semestre Europeu.

Para além do reforço da vigilância do emprego e desenvolvimento social que o painel de avaliação (scoreborad) virá permitir, a Comissão Europeia - numa comunicação hoje adotada sobre uma maior dimensão social na União Económica e Monetária (UEM) - quer reforçar o diálogo social e reforçar a mobilidade laboral.

A comissão Barroso prevê um maior envolvimento dos sindicatos e patronato, a nível europeu e nacional, na definição de aplicação das recomendações políticas durante o Semestre Europeu, que consiste na coordenação das políticas económicas, orçamentais e de emprego dos Estados-membros durante um período de seis meses em cada ano.

O painel de avaliação irá compilar dados sobre a taxa de desemprego, incluindo entre os jovens, e o modo como esta evolui, o rendimento bruto de que os agregados familiares dispõem realmente, o risco de pobreza na população com idade trabalhadora e os índices de desigualdade.

Com estes dados, Bruxelas quer melhorar a identificação precoce de problemas e a rapidez com que estes podem ser tratados, refere a Lusa.

Dados hoje publicados mostram que as taxas de desemprego nos países do Sul da Europa e da periferia da zona euro atingiram uma média de 17,3% em 2012, contra 7,1% no Norte e núcleo da zona euro.

Por outro lado, a média de jovens que não têm emprego, não estudam ou frequentam um programa de aprendizagem chegou aos 22,4% no Sul e periferia da zona euro, contra 11,4% no Norte e núcleo da moeda única.

Os dados de Bruxelas mostram também que a pobreza aumentou em dois terços dos Estados-membros.