A Comissão Europeia impôs uma multa de 61,67 milhões de euros ao banco norte-americano JP Morgan por participação numa operação ilícita que visava manipular a taxa de juros Libor sobre o franco suíço.

O Royal Bank of Scotland, também envolvido na operação de manipulação, não foi multado por ter revelado à Comissão Europeia a existência do acordo, segundo um comunicado.

«Este foi o terceiro caso em que a Comissão constatou um entendimento ligado à manipulação de uma taxa de referência pelos grandes bancos que, em vez de concorrerem entre si, acabaram por fazer um acordo», afirmou o comissário europeu com o pelouro da Concorrência, Joaquín Almunia.

A Libor, tal como a Euribor, é calculada a partir de dados fornecidos diariamente pelos bancos comerciais e influi nos custos pagos por particulares e empresas nos empréstimos.

A CE explicou que entre março de 2008 e julho de 2009 o RBS e o JP Morgan «tentaram falsear o curso normal do preço dos produtos derivados para as taxas de juros em francos suíços».

Numa decisão separada, a CE infligiu multas no valor de 32,3 milhões de euros a quatro bancos internacionais, abrangendo mais uma vez o JP Morgan, por um outro acordo no setor financeiro em 2007.

O banco norte-americano foi multado em 10,53 milhões de euros, o suíço UBS em 12,65 milhões e o Crédit Suisse em 9,17 milhões, com o RBS a escapar mais uma vez à multa por ter revelado a existência deste entendimento sobre produtos financeiros derivados.