O ministro da Economia, António Pires de Lima, destacou esta segunda-feira «a maturidade e o bom senso político» em Portugal, criticando coligações feitas «em meia hora» e com a direita «mais nacionalista que se pode imaginar», numa alusão à Grécia.

Numa cerimónia para homenagear as melhores pequenas e médias empresas (PME) de 2014 hoje à tarde, em Santa Maria da Feira, Pires de Lima afirmou que «em Portugal tem primado a maturidade e o bom senso político».

Para o ministro, essas características permitiram que o país esteja hoje «em melhores condições para continuar a evoluir» e a ter uma agenda «virada para o crescimento e para a recuperação».

Sem se referir à Grécia ou ao vencedor das eleições no domingo, o Syriza, Pires de Lima criticou o partido que «depois de ganhar as eleições consegue em meia hora fazer um governo com a direita mais à direita e nacionalista que se pode imaginar».

Alexis Tsipras tomou posse esta segunda-feira como primeiro-ministro da Grécia após a vitória nas eleições legislativas de domingo do seu partido, o Syriza, que acordou uma aliança de governo com os nacionalistas Gregos Independentes.

O Syriza conquistou 36,34% dos votos nas eleições de domingo, ganhando 149 lugares no parlamento, menos dois do que o necessário para ter a maioria absoluta. Os gregos independentes obtiveram 4,75% dos votos, conquistando 13 deputados.