A Portugal Telecom SGPS decidiu esta quarta-feira avançar com uma ação judicial contra a Deloitte, que era seu auditor externo em 2013, informou a empresa à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No comunicado, a PT SGPS refere que o seu Conselho de Administração pediu à PricewaterhouseCoopers Portugal que "analisasse de forma independente os procedimentos e atos relativos a aplicações de tesouraria em entidades do Grupo Espírito Santo" (GES), tendo também solicitado a uma sociedade de advogados externa que preparasse uma análise das responsabilidades resultantes dos investimentos realizados em entidades do GES.

Esta sociedade de advogados externa apresentou esta quarta-feira, na reunião do Conselho de Administração, "propostas de eventual ação judicial contra ex-administradores da PT e, autonomamente, ação judicial contra o auditor externo em funções à data de 31 de dezembro de 2013", ou seja, à Deloitte.

"O Conselho de Administração deliberou intentar desde já ação judicial contra o ex-auditor externo", lê-se no comunicado enviado pela PT à CMVM.


Já quanto às ações contra ex-administradores da empresa, a PT entende que o pedido de convocatória de Assembleia Geral para esse efeito "deverá ser deliberado e proposto pelo novo Conselho de Administração".

Em causa estão os documentos de prestação de contas da PT SGPS em que se detalham "os acontecimentos relativos a aplicações de tesouraria em entidades do GES, bem como as consequências do incumprimento por parte da Rio Forte Investments SA no que respeita ao papel comercial por esta emitido" e ainda o impacto que este incumprimento teve nos ativos entregues pela PT à Oi.