A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou que o referendo na Grécia deixa de fazer sentido com o fim do programa de resgate, no dia 30 de junho.

“Não posso falar pelo programa do FMI, porque o programa do FMI continua válido, mas o resgate financeiro europeu expira a 30 de junho. Portanto, pelo menos do ponto de vista legal, o referendo terá a ver com propostas e acordos que já não são válidos. É uma questão legal”, afirmou, em duas entrevistas concedidas, à BBC e à CNBC.

Lagarde também alertou o Governo liderado por Alexis Tsipras de que a Grécia deixará de ter acesso a qualquer financiamento do FMI se não reembolsar o Fundo em cerca 1,6 mil milhões de euros até às 18:00 de terça-feira em Washington (23:00 em Lisboa).

A diretora do FMI frisou que a Grécia ainda é um membro da zona euro e que ainda espera “evitar” uma saída.
 

“Quando estiverem preparados para falar e continuar as negociações, estamos prontos. Temos mostrado nos últimos dias vontade de progredir e flexibilidade no que eles podem ajustar. E estamos prontos para continuar a fazê-lo.”


Christine Lagarde assegurou também que a possibilidade de contágio não é neste momento a mesma do que era em 2011.
 

“Tem havido um debate e estão a ser tomadas precauções nos países vizinhos.”