A economia chinesa deverá crescer 7,8% em 2013 apesar do ligeiro abrandamento registado no primeiro semestre do ano, prevê o Fundo Monetário Internacional (FMI) num relatório citado esta quinta-feira na imprensa oficial chinesa.

A economia chinesa abrandou nos últimos trimestres, mas ainda cresceu a um ritmo de 7,5% no segundo trimestre de 2013, o que «coincide com a meta do próprio Governo», disse à agência noticiosa oficial chinesa Xinhua o vice-diretor do FMI para a Ásia e Pacífico, Marcus Rodlaur.

De acordo com as previsões do FMI, a economia chinesa recuperará ligeiramente a partir do terceiro trimestre de 2013, acompanhando «uma suave recuperação da economia global», disse o jornal China.

«Claramente, uma fraca procura por parte das economias avançadas amortece o crescimento na China», comentou Marcus Rodlaur.

Na passada semana, o FMI reviu em baixa a sua previsão de crescimento da economia chinesa em 2013, de 8,1% para 7,8%.

A economia chinesa - a segunda maior do mundo, a seguir aos Estados Unidos - abrandou para 7,5% no segundo trimestre de 2013, anunciou na segunda-feira o Gabinete Nacional de Estatísticas da China.

Aquele valor representa um abrandamento de 0,2 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre do ano e de 0,3 pontos ao crescimento médio de 2012 (7,8%), que foi já o mais baixo desde 1999.

A meta de crescimento preconizada este ano pelo Governo chinês é «cerca de 7,5%».