Cao Guangjing, presidente da China Three Gorges, o maior acionista da EDP, foi nomeado vice-governador da província de Hubei, devendo abandonar a direção daquela empresa estatal chinesa, segundo uma comunicação interna a que a Lusa teve acesso.

A presidência da China Three Gorges passará a ser ocupada por Lu Chun, que já tinha trabalhado com Cao Guangjing na construção da Barragem das Tres Gargantas do rio Yangtze, refere a mesma comunicação.

A província de Hubei, onde se encontra aquele complexo hidroelétrico, tem cerca de o dobro da superfície de Portugal e mais de 60 milhões de habitantes.

Engenheiro civil, nascido em 1964, Cao Guangjing é também membro suplente do Comité Central do Partido Comunista Chinês (PCC).

A entrada de Cao Guangjing para a direção do PCC ocorreu durante o XVIII Congresso do partido, em novembro de 2012, que assinalou a ascensão ao topo do poder de uma nova geração de líderes, encabeçada pelo presidente Xi Jinping.

A China Three Gorges tornou-se o maior acionista da EDP (Energias de Portugal) em 2012, depois de ter pago 2,7 mil milhões de euros por 21,35% do capital da elétrica portuguesa.

Foi também um dos maiores investimentos chineses na Europa e o início de uma nova era nas relações económicas luso-chinesas.

A participação no capital da EDP detida agora pela China Three Gorges foi comprada ao Estado português na sequência de um processo de privatização a que concorreram também duas empresas brasileiras e uma alemã.

Depois dessa operação, outra grande empresa estatal chinesa, a State Grid, comprou 25% do capital da REN e em janeiro passado, o governo português aceitou a proposta de um consórcio privado de Xangai, o grupo Fosun, para comprar as seguradoras da Caixa Geral Depósitos.