Alguns milhares de trabalhadores desfilam esta tarde pelas ruas da baixa lisboeta para exigir a demissão do Governo, correspondendo à chamada feita pela central sindical CGTP-IN, liderada por Arménio Carlos.

«Sem contratação, não há democracia», é uma das principais palavras de ordem gritadas pelos manifestantes que se dirigem para o Rossio em protesto contra as políticas socio laborais do Governo.

A manifestação, colorida pelas bandeiras sindicais, chama a atenção dos comerciantes, transeuntes e dos turistas que param nos passeios para os ver passar e até fotografar a iniciativa.

«A luta continua, Governo para a rua» e «existem soluções, queremos eleições» são outros dos chavões usados para reafirmar o pedido de demissão do Governo de Passos Coelho e a realização de eleições legislativas antecipadas.

Esta manifestação, que decorre em Lisboa é organizada pela CGTP-IN e tem como lema «Acabar com esta política de direita ¿ Governo Rua! - Por uma política alternativa, de Esquerda e Soberana», depois de já se ter realizada uma manifestação semelhante há uma semana no Porto.

A manifestação iniciou-se com duas concentrações, ao início da tarde, uma no Campo das Cebolas - dos distritos de Lisboa, Santarém, Leiria e Castelo Branco - e outra no Cais do Sodré - dos distritos de Setúbal, Évora, Beja e Faro.

Depois de desfilarem por duas ruas diferentes da baixa lisboeta os manifestantes vão convergir para o Rossio, onde o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos fará uma intervenção político-sindical.

Devido à forte afluência desta ação de protesto, a circulação automóvel encontra-se encerrada nesta área.