O Presidente da República salientou hoje a importância de as empresas criarem emprego e apostarem nas exportações, contribuindo para a economia nacional.

O chefe de Estado falava no encerramento das comemorações dos 90 anos da fábrica de Avanca da Nestlé, impulsionada por Egas Moniz, Nobel da Medicina português, e que foi a primeira unidade do grupo em Portugal.

«É muito importante, sobretudo no atual momento que Portugal atravessa, que empresas como a Nestlé contribuam de forma significativa para criar emprego e que apostem a partir de Portugal, não só no mercado interno, mas também nas exportações, contribuindo assim duplamente para a economia nacional», disse.

Cavaco Silva explicou a sua presença no aniversário da fábrica de Avanca da Nestlé, que emprega 1850 trabalhadores e aposta na investigação e na inovação, realçando o compromisso que a empresa assumiu de criar 500 novos empregos para jovens portugueses.

«Não posso deixar de me colocar ao lado de todas as empresas que investem, exportam e criam emprego, em particular daquelas que fazem um esforço para nos ajudar a reduzir o desemprego dos jovens. Portugal ainda tem uma taxa de desemprego elevada, mas sem o contributo de empresas como esta, sem conseguir colocar a economia portuguesa a crescer de forma sustentada, não conseguiremos baixar rapidamente o desemprego que ainda temos», comentou.

O diretor geral da Nestlé, Jacques Reber, que deu as boas vindas ao Presidente da República e o acompanhou na visita à fábrica, disse que atualmente são produzidas em Avanca 37 mil toneladas anuais de produtos alimentares, metade das quais para exportação.

O responsável da Nestlé salientou ainda que, «desde sempre, a Nestlé privilegiou os fornecedores nacionais», revelando que 84% das compras são feitas no mercado nacional, sobretudo leite e também cereais.

A fábrica de Avanca foi o «embrião» da Nestlé em Portugal, impulsionada por Egas Moniz que, com outros sócios, criou, em 1923, a Sociedade de Produtos Lácteos, Lda, com o objetivo de suprir as necessidades alimentares infantis, sendo a primeira fábrica de leite em pó do país.

Em 1933, a sociedade ficou com o exclusivo do fabrico dos produtos Nestlé, cujo fundador havia desenvolvido uma papa para lactentes. Em 1973, passou a ter a designação Nestlé, grupo que veio a alargar a presença em Portugal.