A Organização das Nações Unidas avançou que a catástrofe «El Niño» pode acontecer antes do fim do ano. A organização vai mais longe e adiantou que há 60% de hipótese de tal ocorrer entre junho e agosto sendo que esta probabilidade aumenta para 75 a 80% de outubro a dezembro.

O efeito climatérico «El Niño» pode resultar em secas e inundações em determinadas regiões, o que provoca o aumento da temperatura global logo o aquecimento global é também afetado.

Este caos climatérico começa com um corpo de água morna em desenvolvimento na região central e leste do Oceano Pacífico, em que a água, então, flui em direção à costa oeste da América do Sul dando início a uma cadeia de efeitos climatéricos globais.

As Nações Unidas alerta que os governos devem prepara-se pois esta catástrofe pode ser devastador.

O Secretário-Geral da Organização Meteorológica Mundial (agência especializada da ONU), Michel Jarraud, comentou que «permanecemos vulneráveis a essa força da natureza, mas podemos proteger-nos e estar melhor preparados».

Os governos estão crentes que o seu planeamento para o «El Niño» está apto. A Índia deverá ser afetada por ventos sazonais, associados à alternância entre a estação das chuvas e as secas mais fracos enquanto a Austrália pode sofrer secas mais catastróficas. Já a América do Sul é geralmente vítima de inundações mais generalizadas.

Especialistas acreditam que o Pacífico vai continuar a aumentar a temperatura nos próximos meses, com um pico durante o último trimestre de 2014 e dissipando após os primeiros meses de 2015.