Os trabalhadores do metro de Lisboa fazem esta quinta-feira uma greve parcial entre as 05:30 e as 09:30 contra as medidas do Orçamento do Estado (OE) e a Carris volta a reforçar carreiras para atenuar eventuais transtornos.

Em comunicado, o Metropolitano de Lisboa admitiu que o serviço deve estar suspenso entre as 06:30 e as 09:30 e prevê que a circulação esteja normalizada a partir das 10:00 em todas as linhas.

Durante este período, a Carris vai reforçar algumas das suas carreiras coincidentes com os eixos servidos pelo metropolitano, nomeadamente as 726 (Sapadores-Pontinha Centro), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação Damaia).

Esta é a segunda greve parcial que os trabalhadores do metro realizam esta semana, tendo a primeira ocorrido na terça-feira e levado ao encerramento das estações até às 10:00.

Na quarta-feira, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) marcou uma nova greve parcial para 28 de novembro, também entre as 05:30 e as 09:30 para a generalidade dos trabalhadores e entre as 08:00 e as 12:30 para os trabalhadores administrativos e técnicos superiores.

«Com mais esta luta, os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa demonstram ao Governo que não se vergam perante a brutal ofensiva que estão a sofrer e, mantêm, toda a disponibilidade para continuarem a luta até à reposição dos roubos que o Governo está a impor», lê-se numa nota divulgada no site da Fectrans.

Além dos trabalhadores do metro, também os trabalhadores de outras empresas públicas de transportes agendaram ações de luta contra o OE para os próximos dias.

Na rodoviária Carris, os trabalhadores vão fazer greve parcial de 01 a 07 de dezembro e greve ao trabalho suplementar durante todo o mês.

Na Transtejo, que assegura as ligações fluviais entre Lisboa e a Margem Sul, os trabalhadores param a 25 de novembro, os da Soflusa param no dia seguinte entre as 10:00 e as 16:00 para realizarem um plenário e os da STCP, no Porto, também marcaram uma paralisação para o dia 26.

Os trabalhadores dos CTT vão estar em greve a 29 de novembro e nos dias 27, 30 e 31 de dezembro.