O Ministério das Finanças prepara-se para dar aumentos aos técnicos superiores da Direção Geral do Orçamento, Direção-Geral do Tesouro e Finanças e Gabinete do Planeamento, que vão transitar para uma nova carreira especial.

Segundo o Jornal de Negócios, a medida está prevista num diploma enviado ontem aos sindicatos e é justificada pelo Governo com a dificuldade em recrutar técnicos para aqueles organismos e com a exigência das funções, que «não é compatível com uma carreira do regime geral».

De acordo com a proposta, será criada a carreira técnica superior do Ministério das Finanças, para onde vão transitar os técnicos superiores que atualmente trabalham naqueles organismos tutelados.

A valorização remuneratória será no mínimo de 52 euros.

Este é um sinal de que o Governo está disponível para aliviar a pressão a que tem sujeitado os funcionários públicos, mas surge numa altura em que os cortes salariais na função pública se mantêm.