As bolsas europeias soferram fortes quedas esta terça-feira, arrastadas pela onda de choque do caso Volkswagen.

A maior construtora automóvel da Europa afundou 19%, pelo segundo dia consecutivo, atingindo valores mínimos dos últimos quatro anos, nos 107,05 euros por ação, na sequência da evolução do chamado caso Volkswagen, com a Coreia do Sul a anunciar a abertura de uma investigação ao controlo de emissões de gases dos automóveis da marca alemã e o governo francês a defender uma investigação na Europa.

O índice EuroStoxx 50, que agrupa as cinquenta maiores empresas europeias, afundou 3,53% e o índice Dax, da bolsa de Frankfurt, onde a Volkswagen está cotada, perdeu 3,72%. A bolsa de Paris recuou 3,42%, Milão 3,33% e Madrid 3,18%.
 

Bolsa de Lisboa cai 2,4%


Lisboa não foi exceção à tendência europeia, com o índice PSI 20 a recuar 2,40%.

A Semapa liderou as quedas – 5,696% - ainda na sequência do diferendo que envolve a participada Portucel e o governo norte-americano por causa da taxa “anti-dumping” sobre os produtos de papel.

Também a banca inverteu das subidas de segunda-feira, com o BPI a recuar 4,311% e o Millennium BCP 2,6%, para um valor abaixo dos cinco cêntimos por ação.

A Pharol recuou 4,286% para 0,2680 euros por ação.