A bolsa nacional abriu em alta de 0,14% para 4,715.34 pontos a contrariar toda a Europa. O sinal vermelho europeu pode estar a ser motivado pelo resultado da reunião da Reserva Federal norte-americana (Fed). Que apesar de não surpreender indicia prudência.

A homónima do Banco Central Europeu decidiu não mexer nas taxas de juro de referência, ficando o intervalo entre 0,25% e 0,50%. Uma percentagem que permanece desde dezembro passado, depois de sete anos com as taxas perto de 0%.

A decisão não surpreendeu os analistas mas a atenção focou-se no comunicado da entidade, já que não houve conferência de imprensa e a presidente, Janet Yellen, só deverá falar a 26 de agosto, no simpósio anual organizado em Jackson Hole, antes da nova reunião de política monetária a 20 e 21 de setembro.

O comunicado fez um balanço positivo da evolução económica de curto prazo na maior economia do mundo, considerando que “os riscos de curto prazo” diminuíram, “o mercado laboral se reforçou”, houve “um aumento na utilização do [fator] trabalho nos meses recentes”, a "despesa das famílias aumentou fortemente" e que a “economia se expande a um ritmo moderado”.

Mensagem que os analistas, tal como já era previsível, acreditaram ser reveladora de que, agora os juros não subiram, mas não ficarão assim muito mais tempo.

Retalhista JM em alta e energia a travar Lisboa

Em Lisboa, o principal índice nacional está a ser ajudado, sobretudo, pela ações do Jerónimo Martins. O grupo que detém o Pingo Doce sobe 3,53% para 15,075 euros – próximo do máximo que atingiu esta manhã nos 15,14 euros - depois de ter anunciado que os resultados do semestre subiram mais de 15%, face ao homólogo, para 172 milhões de euros.

A empresa que também opera na Polónia e na Colômbia, anunciou ainda um acordo para vender a Monterroio à Sociedade Francisco Manuel dos Santos por 310 milhões de euros. A Monterroio tem como um dos principais ativo os 45% da JM SGPS na sociedade industrial Unilever Jerónimo Martins, que em Portugal trabalha marcas como a Olá e produz o corneto de morango. A Sociedade Francisco Manuel dos Santos é a maior acionista da JM SGPS com 56,1%.

Ainda em maré de alta, a Nos, que registou resultados de cerca de 50 milhões de euros nos primeiros meses do ano (mais 7%), está a subir 0,53% para 6,160 euros.

Mas animadas seguem hoje as ações do BCP, depois de, segundo o Negócios, o banco, afinal ter adiado a divulgação dos resultados semestrais porque quer revelar em paralelo o bom desempenho nos testes de stress. A ações do banco recuperam 2,15% para 0,0190 euros.

O sinal vermelho vem mesmo da energia. Em dia de resultados, a EDP perde 0,39% para 3,013 euros e a Galp derrapa 0,36% para 12,10 euros. Além da EDP também a Ren, que desce 0,22% para 2,691 euros, revela hoje as suas contas no semestre. Uma lista a que se junta hoje a Altri.