Pode ser mais um dia de ganhos para a bolsas portuguesa, o terceiro consecutivo.

O PSI20 abriu a subir 0,17% para 4,599.99 pontos, a acompanhar a tendência nas restantes praças da Europa e após o fecho positivo na Ásia.

Os analistas citados pela Bloomberg acreditam que o otimismo se instalou depois de ser assumido pelo Governo do Japão, no passado dia 12 de junho, que haverá novo pacote de estímulos à economia. A adoção de mais medidas da política conhecida como Abenomics, destinadas a dinamizar a procura interna, foi confirmada pelo primeiro-ministro, Shinzo Abe, no rescaldo de uma vitória eleitoral no Senado japonês.

Acrescem os resultados animadores de algumas gigantes mundiais que aguçam o apetite por ações, apesar do momento pedir prudência e os sinais serem mistos.

Em Lisboa há pouco sinais negativos e algumas indecisões como é o caso da Jerónimo Martins. A retalhista abriu em alta e ensaia agora o vermelho a cair 0,07% para 14,210 euros.

Na energia Galp e EDP continua a injetar combustível na bolsa. A Galp valoriza 0,39% para 12,740 euros e a EDP cresce 0,72% para 2,946 euros.

Na banca não há sinais do efeito FMI, depois da instituição ter ontem apontada o sistema financeiro português como um do fatores de preocupação globais. O BCP ganha 0,52% para 0,0192 euros e o BPI sobe 0,54% para 1,125 euros. O Montepio segue inalterado.

A The Navigator é um dos sinais negativo da manhã – além da Altri, CTT, e Renováveis. Perde 0,11% para 2,681 euros no em que o Negócios noticia que a empresa de Queiroz Pereira congelou um investimento de 120 milhões de euros em Cacia.