A Bolsa de Lisboa manteve esta terça-feira a tendência positiva, em linha com as restantes praças europeias, apesar dos alertas emitidos pelas agências de rating Moody’s e Fitch para os riscos de instabilidade política em Portugal. O índice PSI 20 ganhou 1,18%, numa Europa que valorizou em média pouco mais de 1%.

Numa nota hoje divulgada, a Moody’s avisou que a falta de uma maioria absoluta vai tornar difícil a Portugal implementar mais medidas estruturais e dá como exemplo a dificuldade de um acordo entre a Coligação PàF e o PS sobre uma reforma do sistema público de pensões. Para a Moody’s o primeiro grande teste do novo executivo será a aprovação do Orçamento do Estado de 2016.

Já a Fitch diz que existe o risco de redução da consolidação orçamental, realçando que “a maioria dos governos minoritários que existiram em Portugal não chegaram a completar o mandato”.
 

Portucel e BCP puxam pela bolsa

 
Alertas à parte, a bolsa foi puxada pelo desempenho muito positivo de dois títulos, a Portucel e o Millennium BCP.

A Portucel valorizou 4,22% depois de ter anunciado um investimento de 120 milhões de euros numa nova linha de produção de papel tissue, em Cacia. Investimento que foi aplaudido pelos analistas por ser num segmento de negócio com boas perspectivas de crescimento.

Já o Millennium BCP soma e segue e acumula já cinco sessões positivas, com uma valorização superior a 40%. Esta terça-feira, os títulos do BCP subiram 3,793%, ultrapassando os seis cêntimos por ação.

Numa dia em que a maioria dos títulos cotados teve um desempenho positivo, destaque ainda para as valorizações do BPI (3,369%), Galp (3,822%), Mota-Engil (2,258%) e Pharol (2,778%).