O Banco Central Europeu (BCE) afirmou esta quinta-feira que «a nova informação disponível confirma que a moderada recuperação da economia da zona euro continua a avançar».

No boletim de março, o BCE recorda que manteve as taxas de juro na zona euro em 0,25% no passado dia 6 de março. Esta moderada recuperação da economia da zona euro avança em linha com a avaliação anterior do conselho de governadores.

Ao mesmo tempo, as projeções macroeconómicas dos técnicos do BCE, que agora incluem até 2016, confirmam as anteriores expectativas de um período prolongado de baixa inflação, seguido de uma evolução ascendente gradual para taxas de inflação mais próximas de 2%.

«Em consonância com este panorama, a evolução monetária e a do crédito continuam a ser frágeis», adianta o BCE.

O BCE afirma que não existe o perigo de deflação no conjunto da zona euro e sublinha que «as expectativas de inflação para a zona euro a médio e longo prazo continuam firmemente ancoradas» em linha com o objetivo de manter as taxas de inflação em níveis inferiores, ainda que próximos, a 2%.

O BCE adianta que vai manter uma política monetária expansionista durante o tempo que seja necessário, o que contribuirá para recuperação gradual da economia na zona euro.

A entidade monetária reitera com firmeza as indicações sobre a orientação futura da política monetária e espera que «as taxas de juro oficiais do BCE se mantenham nos níveis atuais ou em níveis inferiores durante um período prolongado».

Esta expectativa baseia-se na manutenção a médio prazo, de perspetivas de inflação em geral contidas, devido à debilidade generalizada da economia, às baixas taxas de utilização da capacidade produtiva e à lenta criação de dinheiro e crédito.

O BCE segue atentamente a evolução dos mercados monetários e está disposto a considerar todos os instrumentos disponíveis.