Notícia atualizada às 14:18

O presidente da comissão executiva do BES, Vítor Bento, afirmou esta terça-feira que, a prioridade no banco é «reconquistar a confiança dos mercados» e pôr fim à especulação.

Numa mensagem enviada aos colaboradores, Vítor Bento afirma: «Nesta fase, a minha prioridade no BES consiste em reconquistar a confiança dos mercados, redobrar os nossos esforços no sentido de nos aproximar das nossas equipas, clientes, investidores e reguladores, pondo fim à especulação e abrindo caminho a um novo capítulo» na instituição financeira.

O BES é «um pilar da nossa economia, das nossas empresas e dos portugueses em geral» e «irá continuar a sê-lo», reforçou Vítor Bento.

«Naquele que é o meu segundo dia neste desafio quero começar por manifestar o orgulho que sinto por me ter sido confiada esta missão», acrescentou Vítor Bento, que sublinha que o BES «é uma instituição com um passado histórico».

Esta mensagem surge um dia após ter entrado em funções como presidente executivo do BES, na sequência da saída de Ricardo Salgado e da sua equipa de gestão.

Esta tem sido uma terça-feira negra para as ações do banco, que já chegaram a desvalorizar 20% do seu valor para 0,35 euros, tocando um novo mínimo histórico.

Esta é já a sétima sessão consecutiva de perdas para o banco. Nas últimas semanas, foram tornados públicos vários problemas no Grupo Espírito Santo (GES), a que se juntam alterações na gestão do BES. Situação à qual alguns analistas justificam a subida dos juros da dívida de Portugal.

Esta terça-feira é a data-limite para a Rioforte, empresa do Grupo Espírito Santo (GES), pagar 847 milhões de euros dos 900 milhões de euros de dívida à Portugal Telecom (PT).

Os jornais económicos avançam, no entanto, a possibilidade da operadora liderada por Henrique Granadeiro acordar com a Rioforte o adiamento do reembolso desta dívida.