Mais 516 pessoas beneficiaram do Rendimento Social de Inserção (RSI) em setembro, face a agosto, totalizando 210.065 pessoas, um aumento de 0,2%, segundo dados da Segurança Social divulgados esta sexta-feira.

Comparando com setembro de 2016, houve menos 4.764 pessoas a receber esta prestação social, o que representa uma descida de 2,2%, adiantam as estatísticas do Instituto da Segurança Social (ISS) publicadas no seu site.

Em setembro de 2017, os beneficiários com menos de 18 anos representaram 32,1% do total, enquanto os que têm idades entre os 30 e os 39 anos totalizavam 11,5 por cento.

Os beneficiários com idades entre os 40 e os 49 anos representavam 15,3% do total e com 50 e mais anos 26,1%, refere o Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) na Síntese de Informação Estatística da Segurança Social, que acompanha os dados do ISS,

Por beneficiário, a prestação média de RSI foi de 111,94 euros em setembro de 2017, 0,2% acima do valor revisto de agosto (111,76 euros).

Face a setembro de 2016, verificou-se uma subida de 0,3% uma vez que, no período homólogo, a prestação média foi de 111,64 euros, adianta o GEP.

O valor médio de RSI, por família, foi de 253,98 euros, registando-se descidas de 0,1% referente ao mês anterior e 0,2% quando analisado setembro de 2016.

A maior parte dos beneficiários reside no distrito do Porto (61.624), seguido do distrito de Lisboa (37.064), de Setúbal (18.287) e dos Açores (17.670).

Também no número de famílias com direito ao RSI observou-se uma subida, totalizando 94.859 em setembro, mais 338 do que em agosto.

Relativamente a agosto do ano passado, houve menos 2.387 famílias a receber esta prestação social.

As famílias estão maioritariamente concentradas no distrito do Porto (26.664), Lisboa (16.676), Setúbal (8.169) e nos Açores (6.000).

O Governo lançou hoje uma campanha de divulgação e esclarecimento sobre o Rendimento Social de Inserção com o objetivo de recuperar “a cobertura do número de beneficiários" desta prestação social.

Com a campanha hoje lançada pretende-se dignificar esta prestação e reforçar a sua capacidade integradora e inclusiva, recuperando a cobertura do número de beneficiários do RSI”, segundo o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Menos 34.331 crianças receberam abono de família

De acordo com os mesmos dados, menos 34.331 crianças e jovens receberam o abono de família em setembro, face a agosto. Uma descida explicada pelos atrasos na entrega da prova escolar, segundo o Instituto da Segurança Social (ISS).

Em setembro, o número de titulares de abono de família situou-se nos 1.072.410, refletindo um decréscimo de 5,1% face ao valor revisto do mês anterior (1.129.895), adiantam as estatísticas do ISS.

Comparando com o período homólogo do ano passado, houve menos 34.431 abonos processados (-3,1%), referem os dados publicados no ‘site’ do ISS.

O Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) explica na Síntese de Informação Estatística da Segurança Social, que acompanha os dados do ISS, a quebra no número de beneficiários em setembro com os “atrasos na entrega da prova escolar”.

É usual observar-se um decréscimo acentuado. Contudo, após a sua apresentação por parte do titular, haverá processamentos de prestações a retroagir a este mês e os dados serão revistos em alta”, sublinha o GEP.

Lisboa é a região do país com o maior número de abonos de família atribuídos (242.413), seguida do Porto (231.663) e Braga (107.574).

Os dados indicam também que, em setembro, 36.188 pessoas receberam prestações por parentalidade, verificando-se uma ligeira subida de 0,9% face ao mês anterior.

Foram atribuídas menos 1,5% de prestações desta natureza ao sexo feminino (24 792), mas mais 6,7% ao sexo masculino (11 396)”, refere o GEP.

Relativamente ao período homólogo, houve uma subida de 3,8% no total (3,9% nas mulheres e 3,7% nos homens).

Complemento Solidário abrangeu 165.736 idosos

O Complemento Solidário para Idosos (CSI) abrangeu 165.736 pessoas em setembro, menos 47 face ao mês anterior, segundo dados da Segurança Social hoje divulgados.

Houve uma ligeira diminuição do número de abrangidos por esta medida face ao mês anterior”, menos 29 mulheres e menos 18 homens, refere o Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) na Síntese de Informação Estatística da Segurança Social, que acompanha os dados do Instituto da Segurança Social (ISS).

Comparativamente com o período homólogo do ano passado, observou-se uma subida 3,7%, o que equivaleu a mais 5.877 idosos a receber esta prestação social.

A maioria dos 165.736 idosos, maioritariamente mulheres (116.380), reside nos distritos do Porto (27.270), Lisboa (24.639) e Braga (12.269).

Relativamente às pensões de velhice, os dados indicam que foram processadas 2.035.585em setembro, mais 462 do que no mês anterior.

Considerando setembro de 2016, registou-se um aumento de 3.857 pensões de velhice.

As mulheres representaram 52,9% do total de pensões de velhice atribuídas (1.077.681 pensões) e os homens os restantes 47,1% (957.904 pensões).