A ADSE obteve receitas no valor de 303,1 milhões de euros no primeiro semestre deste ano. Contas feitas, cresceram 2,35% face a 2015, apesar da redução de 1,29% no número de beneficiários titulares do sistema.

De acordo com o relatório da atividade do primeiro semestre deste ano da Direção-Geral de Proteção Social dos Trabalhadores em Funções Públicas (ADSE), as receitas desta estrutura de proteção dos funcionários públicos aumentaram 6,9 milhões de euros relativamente aos valores obtidos no mesmo período de 2015, cita a Lusa.

O acréscimo de receitas deve-se ao aumento dos descontos dos beneficiários titulares (+3,71%), em termos homólogos, o que corresponde a mais 10 milhões de euros.

Este acréscimo é justificado pelo início da reposição salarial na função pública e pela entrega dos descontos dos trabalhadores da Madeira.

As receitas provenientes da contribuição da entidade empregadora caíram 30% (724.722), dado que deixou de ser obrigatória em janeiro de 2015 e, por isso, as contribuições que persistem são relativas a acordos ainda em vigor.

Nos primeiros seis meses deste ano, o número de beneficiários titulares era de 836.317, o que corresponde a um decréscimo de 1,29%, menos 10.964 contribuintes que no mesmo semestre do ano passado.

O número de beneficiários titulares da ADSE tem vindo a cair gradualmente desde 2012, ano em que eram 880.896.

No primeiro semestre de 2016, o desconto médio por trabalhador para a ADSE foi de 338 euros, quando a remuneração média mensal foi de 1.381 euros.

Veja também: PS remete discussão sobre propostas da ADSE para setembro