A TAP tem apenas uma ligação aérea diária com a Bélgica desde terça-feira, tendo cancelado 22 voos devido aos atentados na capital belga, que causaram 35 mortos e mais de 340 feridos, avançou a companhia esta segunda-feira.

Segundo adiantou à Lusa António Monteiro, porta-voz da TAP - Air Portugal, “dos 28 voos que deveriam ter sido efetuados [desde terça-feira passada], foram cancelados 22 e apenas seis foram realizados”.

O porta-voz explicou também que desde o primeiro voo, no próprio dia dos atentados, 22 de março, que seguiu para o Luxemburgo, os voos de ligação a Bruxelas têm sido realizados para outras cidades belgas, nomeadamente para Liége e Oostende, sendo depois os passageiros transportados por via rodoviária para a capital.

Nos últimos dias, há apenas um voo diário que opera entre Lisboa e Oostende, que parte pelas 14:15 locais”, adiantou.

Segundo o mesmo responsável, até ao momento, a procura para os voos com destino à Bélgica tem sido a suficiente para encaixar no único voo a operar diariamente pela companhia aérea portuguesa.

António Monteiro adiantou que os passageiros com bilhetes comprados podem adiar a viagem para uma data da sua conveniência ou então receber o dinheiro da passagem.

Na passada terça-feira, duas explosões no aeroporto e uma na estação de metro de Maelbeek mataram, pelo menos 35 pessoas, das quais 28 já foram identificadas, segundo o mais recente balanço.

Os três bombistas suicidas, dois no aeroporto e um no metro, não entram na contagem do número de vítimas mortais.

Algumas vítimas que acabaram por morrer em diferentes hospitais não estão ainda incluídas nos números mais recentes”, informou domingo o Centro de Crise da Bélgica.

Nos atentados de Bruxelas ficaram feridas 340 pessoas de 19 países. Destas, 101 continuavam hoje internadas, 662 delas nos Cuidados Intensivos e metade com queimaduras graves.

Os responsáveis que falavam no centro de crise belga indicaram que 31 vítimas morreram no aeroporto e no metro da capital belga e quatro sucumbiram posteriormente aos ferimentos no hospital.

O balanço anterior era de 31 mortos.